Papo Musical

Quadros de uma Exposição

GYOVANA_CANEIRO
Reprodução
Modest Mussorgsky Compositor russo Modest Mussorgsky (1839-1881)
A obra original para piano “Quadros de uma Exposição”, do compositor russo Modest Mussorgsky (1839-1881), foi escrita em junho de 1874 após visita a uma galeria de arte em São Petersburgo, que exibia obras de Viktor Hartmann (1834-1873), seu amigo arquiteto e pintor que acabara de falecer.
 
Com o intuito de prestar homenagem ao dileto amigo, Mussorgsky escolheu dez dentre os quadros expostos e compôs uma música para cada um deles, unindo-os através de um tema comum denominado “Promenade”. Quadros de uma Exposição, como o próprio nome sugere, descreve um passeio em uma exposição de quatros através de metáforas utilizando as notas musicais.
 
Segundo o dicionário Grove de Música, “o desejo de Mussorgsky era ligar sua arte o mais estreitamente possível à vida, sobretudo a das massas russas, nutri-las dos acontecimentos cotidianos e emprega-las como um meio de comunicação de uma experiência humana”.
 
A suíte do compositor russo foi durante muitos anos ignorada. Mas, Claude Debussy (1862-1918), admirador confesso de Mussorgsky, estudou cuidadosamente a obra, que, posteriormente, foi arranjada para orquestra por vários compositores, incluindo o arranjo orquestral do compositor brasileiro Francisco Mignone (1897-1986), sendo a versão mais famosa do também francês, Maurice Ravel (1875-1937).
 
Ravel, ao orquestrar a obra do compositor russo, em 1922, quarenta e um anos após a morte de Mussorgsky, torna a obra mais popular. Com o seu apurado dom orquestral, Ravel soube extrair da obra a dosagem necessária dos instrumentos e criar sonoridades instrumentais precisas, dentro do espírito dos temas.
 
Curiosamente, em 1971, a banda de rock progressivo britânica formada por Keith Emerson, Greg Lake e Carl Palmer - “Emerson Lake and Palmer”, famosa por mesclar música erudita e rock, gravou, em um disco ao vivo, uma versão de rock da obra de Mussorgsky, adicionando novos temas, baixo, bateria e vocais. Em 2002, o álbum foi relançado, contendo tanto a versão original quanto uma nova versão, gravada em estúdio.
 
Ouviremos abaixo a versão original do compositor Mussorgsky para piano solo, interpretado pelo pianista russo Evgeny Kissin (1971). 
 
Quadros de uma Exposição:
 
1. ”Promenade” (Passeio) – Introdução – Allegro giusto, nel modo russico, senza allegrezza, ma poco sostenuto.
2. ”Gnomus” (Gnomo) – Sempre Vivo.
3. ”Promenade” (Passeio) – Moderato comodo assai e con delicatezza.
4. ”Il Vecchio Castello” (O Castelo Medieval) – Andante molto cantabile e con dolore.
5. ”Promenade” (Passeio) – Moderato non tanto, pesante.
6. ”Tuileries” (Tulherias) – Allegretto non troppo, cappricioso.
7. ”Bydlo” (Carro de Bois) – Sempre moderato, pensante.
8. ”Promenade” (Passeio) – Tranquillo.
9. ”Ballet des Petits Poussins dans leurs Coques” (Balé dos Pintinhos em suas Cascas de Ovos) – Schernizo.
10. ”Samuel Goldenberg et Schmuyle” – Andante grave, energico.
11. ”Promenade” (Passeio) – Allegro giusto, nel modo russico, poco sostenuto.
12. ”Limoges, Le Marché” (O Mercado em Limoges) - Allegretto vivo, sempre scherzando.AFK.
13. ”Catacombae, Sepulcrum Romanum” (Catacumbas, Sepulcro Romano) – Largo.
14. "Cum Mortuis in Língua Mortua" (Com os Mortos em Língua Morta) - Andante non troppo, com lamento.
15. ”La Cabane de Baba-Yaga sur de Pattes de Poule” (A Cabana de Baba-Yaga sobre Patas de Galinha) – Allegro com brio, feroce. Andante mosso. Allegro molto.
16. ”La Grande Porte de Kiev” (A Grande Porta de Kiev) – Allegro alla breve. Maestoso. Con grandezza.

*Gyovana Carneiro é professora da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, doutora em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa – Portugal. Promove séries de Concertos em Goiânia.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA