Casa

Na hora da reforma

Joana França / Divulgaçao

 


Todos que já realizaram uma reforma em casa sabem o quanto o processo pode ser complicado. Nem sempre começar o quebra-quebra é uma tarefa fácil. Durante a reforma, a entrada e saída de trabalhadores e materiais, a sujeira, os atrasos e o orçamento estourado são situações que podem desanimar qualquer um. Mas os problemas podem ser suavizados com a ajuda de profissionais qualificados para planejar e administrar.

O primeiro passo é decidir quando a reforma é necessária. "A vontade de reformar surge não só pela necessidade óbvia de se renovar algum imóvel antigo, mas principalmente de adaptar um espaço de acordo com a necessidade e dinâmica dos moradores”, afirma a arquiteta Clarice Semerene.

Ela explica que mesmo imóveis novos podem exigir reformas, pois muitas vezes o morador deseja um espaço que reflita sua personalidade e passe sensações de acolhimento. Para a também arquiteta Tânia Fernandes, reformar é importante “quando o ambiente em que se habita não é mais o sonho de consumo. A reforma é necessária quando se perde o brilho de onde se vive.”

Planejar

Tânia afirma que o principal ponto do planejamento é a organização das ideias. "Depois o projeto é bem definido, com o orçamento compatível", conta a arquiteta. Segundo Clarice, é necessário também levar em consideração o tempo. "Para a confecção de um projeto para um apartamento é necessário um prazo de até dois meses. A obra pode levar até seis meses, dependendo do caso. Sendo assim, antes de começar uma obra, o cliente deve se programar e considerar o prazo necessário, pois este período é que vai garantir a qualidade de um projeto", esclarece.

As profissionais contam que uma reforma é realizada por etapas. "Primeiro acontece o levantamento físico do imóvel e diagnóstico. Em seguida, é realizado o estudo preliminar, que é um esboço mais conceitual do projeto. Depois de aprovada a etapa anterior, o projeto executivo pode ser iniciado, que é o desenho técnico necessário para orientar os fornecedores e profissionais na obra. Em seguida, vem a etapa da obra em si", enumera Clarisse. Segundo a arquiteta, toda obra, independentemente do tamanho, deve ter um responsável técnico registrado, que vai emitir um registro de responsabilidade técnica

Outra questão é saber se a reforma pode ser feita com os moradores dentro de casa. “Em uma obra o que se torna indispensável é a parte bruta da obra, como revestimentos, pisos, elétrica, pintura e iluminação, pois fica complicado fazê-la quando o ambiente está ocupado. A parte dispensável é a parte da decoração, plantas, marcenaria, já que esses podem ser feitos com calma, mesmo com o morador já estando dentro da residência", afirma Tânia.

Confira esta matéria completa, além de muitas outras, na 2ª edição da revista Ludovica, que já está nas bancas

 

 

 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.