Comportamento

Alimentação correta pode colocar fim ao refluxo

Shutterstock

Você conhece alguém que tem a doença do refluxo? Infelizmente é mais comum do que se imagina. De acordo com o professor de pós-graduação em gastrenterologia da Faculdade IPEMED, Carlos Saul, azia e regurgitação são os principais sintomas de refluxo e cerca de 20% da população brasileira adulta é vítima da doença.

Na prática, o refluxo é o retorno de ácido do estômago para o esôfago, o que provoca azia e queimação. Para o médico, o alto índice da patologia é reflexo dos péssimos hábitos alimentares, tanto em quantidade, quanto em qualidade. "Nosso tubo digestivo foi feito para digerir frutas, verduras, legumes e cereais. Se consumimos um volume excessivo de alimento, o estômago precisa produzir mais ácido para a digestão. Parte desse ácido vai embora com a comida e a outra parte acaba voltando para o esôfago, o que caracteriza o refluxo." 

Ainda segundo o médico, fatores como obesidade e ganho de peso também influenciam na doença. Alimentos como carne vermelha, gorduras e industrializados irritam ainda mais o estômago que leva mais tempo para completar a digestão. "A única solução que temos é disciplinar com alimentação saudável." 

Em alguns casos, a intervenção cirúrgica é necessária, especialmente em pacientes que desenvolveram hérnia de hiato. Todos nós temos uma válvula que se abre e se fecha a medida que a comida passa do esôfago para o estômago. Caso essa "tampa" fique aberta, o ácido do estômago retorna com maior facilidade. Nesses casos, o tratamento cirúrgico é recomendado. 

Muito se fala sobre refluxo em bebês e crianças. Para o médico, na verdade, não é que o número de casos tenha aumentado, mas sim o diagnóstico ficou mais frequente. Assim como nos adultos, um fator que contribui para a doença do refluxo são os péssimos hábitos alimentares.

 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.