Comportamento

Por que as pessoas roncam?

Shutterstock

O hábito de roncar é mais sério do que se imagina. Socialmente, o ronco é visto como motivo de piada para os outros, incômodo e constrangimento para quem ronca. Porém, segundo o especialista em prótese dentária e implantes Eudécio Gonçalves de Melo, é necessário procurar por tratamento. 

O ronco nada mais é que a vibração da úvula, mais conhecida como "campainha", na garganta. As pessoas roncam por causa do estreitamento da passagem de ar na região da orofaringe.  É ocasionado por variados fatores como formação esquelética, sobrepeso, deficiência nasal e flacidez fisiológica. Além disso, aspectos externos, como ingesta de álcool e alimentação pesada próximo a hora de dormir pode causar uma noite barulhenta. 

Segundo Eudécio, aproximadamente 70% da população vai roncar um dia. A média funciona assim: "durante a idade reprodutiva feminina, a proporção é de uma mulher para nove homens que roncam. Após a menopausa, a proporção é de um para um. Já os homens começam a roncar a partir dos 30 anos." 

O ronco tem tratamento. É comum ser confeccionado um aparelho intraoral que avança a mandíbula para frente e a trava. "Se por um lado o uso do aparelho gera certo incômodo, até a adaptação, o bem-estar que a pessoa experimenta, compensa. 

O grande problema do ronco é que em 95% dos casos, o paciente também tem apneia do sono, ou seja, parada respiratória. Isso é extremamente prejudicial à saúde, "é como se a cada vez que essa pessoa para de respirar o corpo precisa 'acordar' para recuperar a respiração. Pacientes com apneia do sono acordam cansadas e querem dormir mais. Além disso, há maior circulação de cortisol (hormônio do estresse), por isso são pessoas que tendem a ser mais estressadas."

Apneia é coisa séria! O paciente com a doença vive em média nove anos a menos, se comparado a uma pessoa normal. Além de viver menos, tem uma péssima qualidade de vida. "Se você ama a pessoa que dorme ao seu lado, não faça piada com o ronco dela. Oriente essa pessoa a procurar tratamento."

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.