Comportamento

Saúde pela boca

Shutterstock

Sistemas digestório, respiratório, reprodutor... Embora cada um tenha sua função, todos conversam entre si. Não é diferente com a saúde bucal, que pode interferir no bem-estar e equilíbrio de outros órgãos. Está enganado quem pensa que cáries e doenças periodontais sejam os únicos problemas. De fato, são os mais comuns, mas a história não termina aí. 

Segundo a dentista Vanessa Orsini Perez Ventura, os problemas bucais podem interferir também na vida social, física e até emocional do paciente. Em um primeiro momento, é necessário notar que a mastigação é o primeiro passo da digestão e os alimentos precisam ser bem triturados na boca para que haja uma absorção adequada pelo intestino. Quando os dentes não estão saudáveis ou a oclusão é incorreta, pode acontecer interferência no processo digestório, com dores abdominais, enjoos e até sonolência. 

Além disso, em condições normais, os dentes superiores encobrem ligeiramente os inferiores. Qualquer alteração é considerada má oclusão, que pode levar a fortes dores de cabeça. A dentista chama a atenção também para os pacientes que têm refluxo. Isso porque o retorno do suco gástrico pode causar erosão facial, que é a perda gradativa e irreversível da estrutura dentária. De maneira geral, vale reiterar que a saúde bucal é apenas um elemento do todo. 

Saúde bucal na gravidez

Durante a gestação uma revisão na saúde bucal é fundamental. A cárie nada mais é que uma doença infecciosa e que pode evoluir para um canal. Por isso, é tão importante que a mulher faça um check-up antes de engravidar. Caso a revisão não seja feita, a recomendação é evitar tratamentos odontológicos no primeiro e terceiro trimestres. 

De acordo com o dentista Danillo Ferreira, durante a gravidez há uma série de alterações hormonais que deixam o organismo suscetível à inflamação. “A alteração hormonal faz com que o fluxo sanguíneo aumente em todo o corpo, inclusive na gengiva.” Por isso, algumas mulheres relatam sangramento gengival. A situação se agrava na falta de uma higienização adequada. 

O dentista alerta que é imprescindível que a mulher avise ao dentista que está grávida, porque “alguns tipos de anestesia podem causar contrações de parto.” O profissional afirma que não há notícia de que o clareamento dental possa fazer mal à gestante ou ao bebê, “mas como não há evidências, é melhor esperar”. Outra forte característica no período gestacional são as náuseas que chegam acompanhadas de vômitos. O ácido do estômago, se deixado na boca, pode desmineralizar os dentes. A boca seca na gravidez também contribui para cáries e infecções. 

Segundo Danillo, uma dúvida frequente das grávidas é se elas podem ou não fazer exames em aparelhos de raios-X. A resposta é não, por causa da radioatividade do aparelho que pode gerar problemas na formação do feto. De modo geral, é importante que a mulher tenha hábitos saudáveis de higiene bucal e uma boa alimentação, uma vez que a saúde da mãe tem relação com a do filho. “O açúcar adicional deve ser evitado, dando preferência ao doce natural dos alimentos.”

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.