Blog da Boca pra Fora

Mastigação: vamos aprender o jeito certo juntas?

Shutterstock


Já te chamaram a atenção por você comer rápido demais? Olha, nem sei quantas vezes isso já aconteceu comigo. Logo eu, que deveria ser exemplo. Mas confesso que sempre engulo a comida praticamente na quinta mastigada. Se bem que na verdade nunca realmente parei para contar quantas vezes mastigo. Não tenho paciência nem pra contar as repetições da minha série de musculação (isso deve ser um problema com números). E isso, além de fazer mal, é falta de educação. Afinal, vocês também já devem ter ouvido alguém falar que “a comida não vai correr”, não é? 

Como disse no último texto, já fiz vários planos para este ano. E uma das minhas metas para 2018 é reeducar a minha mastigação. Cheguei à conclusão que posso comer muito melhor, sentir o verdadeiro paladar de um alimento. Porque se tem uma coisa que nos dá prazer é comer. Então, pra quê a pressa? Que tal você também reeducar a sua mastigação? Sei que a tarefa não vai ser fácil, mas não é impossível. 

Realmente haverá dias que precisaremos literalmente engolir por falta de tempo, dias em que a gente realmente vai por obrigação devido à correria do dia a dia. E às vezes perdemos até a fome quando passamos muito além do nosso horário habitual da refeição. Mas se a boca é a porta de entrada para a alimentação e nós apenas refletimos o que comemos, está na hora de dar um basta naquilo que é errado. E eu, como cirurgiã-dentista, tenho que dar o exemplo. Afinal, entendo muito bem os malefícios de se engolir alimentos antes de triturá-los. 

Há dias que preciso beber água pra ajudar o "sinal" a abrir. Sou a responsável pelo congestionamento da comida que entra em pouquíssimos minutos. Aliás, responsável pelo meu desespero em comer rápido demais. Talvez você não esteja interessada em saber quantos músculos participam da mastigação, mas você precisa saber que para fortalecer os músculos que fazem parte, inclusive, da estética facial, precisamos mastigar dos dois lados (direito e esquerdo). A não ser que você queira uma face mais assimétrica (desproporcional).

Não mastigar dos dois lados ou a chamada mastigação unilateral pode ter inúmeros motivos: hábito, falta de dentes, algum desconforto muscular, dores na ATM (articulação temporomandibular), próteses desadaptadas e a dificuldade em abrir a boca. E se você mastiga mais de um lado do que do outro, consequentemente o fluxo salivar pode ficar comprometido. Aí as enzimas salivares não ajudam como deveriam. E não ache que água, bebidas gasosas ou refrigerantes auxiliam na digestão. Na verdade, as bebidas atrapalham. 

Outra curiosidade é que os dentes deveriam se tocar apenas quando mastigamos, mas mesmo assim tem muita gente que, na ansiedade e no estresse, acaba descontando tudo sobre os "coitados". E a principal função dos dentes é a mastigação. A estética é só pra conquistar mais sorrisos. E se você é como eu, que adora comer mexendo no celular ou assistindo TV, saiba que isso influencia até na balança. Se não nos concentramos nas refeições, tendemos a comer mais e mais rápido. Aquela sensação de “muito cheia" não é ruim? Dizem que o bom é quando terminamos a refeição sem a sensação de estômago pesado pelo excesso de comida.

Não mastigar ou comer demais, para mim, é errado (já confessei meu erro). Toda vez que vou ao supermercado, penso: nossa como comida é cara! Tenho que mastigar mais vezes pra me saciar mais. Esse meu pensamento está que nem o conto da carochinha: pensa, pensa, pensa, mas continua gastando muito dinheiro com comida (risos). Mas a boa notícia é que pra tudo tem correção. O ano virou e eu resolvi que vou comer mais devagar, usar menos o celular, apreciar o momento da refeição, melhorar a minha digestão e o meu intestino. E olha que sou determinada. Se eu disse, agora é um desafio. Vamos tentar juntas? Deixe aqui embaixo o seu comentário e me conte se você é como eu. Que tal mudarmos isso este ano?

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse karynemagalhaes.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA