Blog da Boca pra Fora

Tártaro: tem como evitar?

Shutterstock


Você já ouviu falar sobre tártaro? Tenho certeza que sim. O cálculo dental, conhecido como tártaro, é aquela camadinha dura que se acumula no dente e que não conseguimos remover em casa, com a escova de dente ou fio dental. Normalmente, as pessoas só percebem o tártaro que está nos dentes de baixo, quase que em contato com os lábios. Ou então sentem os dentes mais ásperos mesmo após a escovação.
 
Para que aconteça a formação do tártaro é preciso, antes de tudo, que se forme a placa bacteriana dental. A placa é aquela "massinha" esbranquiçada ou amarelada que, muitas vezes, pode ser removida durante a higienização.  Ela é formada independente da nossa alimentação e higienização. Nós sempre vamos formar a placa mesmo usando cremes dentais que prometem proteção de doze horas.

O tártaro é a placa mineralizada pelo fosfato de cálcio. Como o tártaro é áspero, cada vez mais ele irá aderir camadas de placa, aumentando a espessura. O tártaro pode estar acima ou abaixo da gengiva. Acima da gengiva ele vai ocasionar o que chamamos de gengivite, que é a inflamação da gengiva. Abaixo da gengiva ele causará o periodontite, que é a perda das estruturas que sustentam os dentes, como osso e ligamentos periodontais, possibilitando, muitas vezes, a perda do dente.

No meu consultório os meus pacientes são chamados a cada seis meses, em média, para profilaxia dental, que é a limpeza dos dentes realizada pelo cirurgião-dentista. Quando termino a profilaxia, quase sempre escuto: "Queria que eles ficassem assim" ou "Ah, estou com dó de comer". Eles dizem isso porque sentem que a boca e os dentes estão limpos. Mas por que eles têm essa sensação?

A profilaxia remove a placa bacteriana e o tártaro com a ajuda do ultrassom odontológico. Esse aparelho quebra o tártaro, com o auxilio de curetas (instrumento odontológico), que alisam os dentes, e com pastas e substâncias polidoras, além do jato de bicarbonato odontológico. Ainda finalizamos com a aplicação de flúor. E, é claro, a limpeza da língua também pode ser necessária. Quando o paciente recebe esse procedimento, a sensação é de dentes lisos, deslizantes, boca limpa e hálito mais fresco. Brinco que podemos comparar com a sensação de casa limpa, sabe?

Bem, fazendo o controle da saúde bucal a cada seis meses, é possível observar quais as áreas que estão acumulando mais tártaro ou placa bacteriana. Mostrando isso ao paciente, ele consegue controlar melhor aqueles pontos de maior retenção. 

Os locais mais favoráveis para deposição do tártaro ficam próximos às saídas dos canais salivares principais, glândula parótida e submandibular. Na região dos dentes debaixo, na parte da frente (essa que fica em contato com a ponta da língua), onde normalmente os ortodontistas colocam os contensores dentais, é a região mais favorável para se formar o tártaro, até mesmo pelo tipo de secreção salivar que sai por lá.

Como prevenir a formação do tártaro?

Após as principais refeições, passe o fio dental, abraçando o dente. Apenas entrar e sair com o fio entre os dentes não adianta. Temos que abraçar dente por dente, como se estivéssemos dando um polimento. Escove os dentes com uma escova macia e creme dental fluoretado. Só o seu cirurgião-dentista é capaz de indicar quais os melhores produtos para a sua higiene. Você não precisa usar enxaguatórios bucais, a menos que o seu cirurgião-dentista indique. Limpar a língua é importante, mas atenção: você precisa ser bem delicado com ela. Você pode usar a própria escova de dente ou um limpador lingual.

E se eu não consigo fazer a higienização após as principais refeições?

Enxágue bem a boca e, se possível, masque chiclete sem açúcar por 15 minutos. Isso vai estimular a sua produção salivar, depurando resíduos alimentares e bactérias, enquanto reestabelece o seu pH bucal (acidez).

De quanto em quanto tempo precisamos fazer a profilaxia dental?

A média é seis meses, mas há casos que o tempo fica reduzido para três ou quatro meses. Deixe isso bem claro quando terminar a sua consulta.

Resumindo, quanto melhor você higienizar, menos riscos de tártaro. Hábitos saudáveis alimentares e uma boa mastigação ajudam muito, principalmente a manter um bom hálito.

*Karyne Magalhães é cirurgiã-dentista, habilitada em Laserterapia e qualificada no tratamento da Halitose, vice-presidente da Associação Brasileira de Halitose (Abha), membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO-GO) e membro da Sociedade Brasileira de toxina botulínica e implantes faciais (SBTI). Acesse saudesalivar.com.br e botoxgoiania.com.br.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA