Educar faz parte!

O ano começou e estou insegura com a escola?

Shutterstock


São tantas informações, tantas opções e tantas “falações”, que alguns pais acabam ficando inseguros com relação à escola do filho. Ficam horas estudando as propostas, visitam a instituição e, muitas vezes, apenas um comentário de alguém (que pode até ser um desconhecido) coloca toda a pesquisa a perder. E por que isso acontece? Por que deixamos os comentários minarem a nossa escolha? Por que em um dia estamos tão decididos e no outro tão inseguros? Se estabelecemos critérios e estudamos a instituição, por que permitimos a insegurança?

É preciso entender que uma escola pode ser a ideal para uma família e não escolhida por outra. As famílias são diferentes, possuem valores e princípios culturais e, com certeza, escola e família precisam estabelecer parceria que faça sentido uma para outra. A escola ideal precisa ter uma equipe estudiosa, que acredita na formação contínua e que crie ferramentas variadas para atingir o objetivo: aquisição do conhecimento. As pessoas que compõem a escola precisam entender que, além da formação teórica, elas precisarão oferecer exemplo. Uma escola com pessoas focadas na formação acadêmica e humana trarão um diferencial à formação do seu filho. 

A escola precisa preocupar-se com o ambiente. Um ambiente motivador e acolhedor fará com que a criança ou adolescente se sinta pertencente. Se me sinto parte, me interesso e evoluo com todos. A escola precisa fazer sentido. Trabalhar os conteúdos levando à compreensão permitirá a aquisição da aprendizagem que levará a colocar em prática tudo o que aprenderem.

Escola precisa ter regras. Uma escola organizada e disciplinada contribuirá para que o aluno também tenha organização e disciplina. Saber as regras da escola e compreender o processo de como são executadas é muito importante na escolha. A escola precisa ter ações de cidadania.  Precisa entender que uma criança “entupida” de conteúdo, sem ter voz para executar o que aprendeu, é fruto de uma escola que pouco contribuiu ou contribuirá para o crescimento desse indivíduo. 

Se você conseguir discutir em família (casal) qual tipo de escola você acredita que seja a ideal para a formação da sua criança, não se permita influenciar por modismos ou por interesses de terceiros. Seja firme naquilo que pensa ser o melhor agora para o seu filho a fim de colher os frutos em um futuro próximo. 

Escolher uma escola sem investigá-la e verificar se ela atende ao que você acredita em todos os aspectos pode ser um erro que você só irá perceber mais tarde. Ninguém pode escolher a escola dos seus filhos por você. Tire um tempo e se dedique a isso. Você terá um prazer enorme e uma sensação futura indescritível de dever cumprido com louvor. 

*Fabíola Sperandio T. do Couto é pedagoga, psicopedagoga e terapeuta de família e casais. Ela é membro do IBDFAM Goiás, mestranda em Educação e concluindo a especialização em Organização e Gestão de Centros educacionais. Atua em educação desde 1984 e em consultório desde 1999. É diretora pedagógica de instituição privada do Infantil l ao 9ºano, palestrante e consultora na área educacional e familiar. Publica periodicamente no blog "Educar Faz Parte" (Organização Jaime Câmara/Globo/Ludovica) e na Editora GD.
 
Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores. 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA