Educar Sem Complicar

Presença é o melhor presente para a formação da personalidade

Shutterstock


A personalidade é uma formação complexa do psiquismo humano, que engloba tanto as capacidades cognitivas quanto as emoções, a vontade e os traços de caráter. A personalidade é um sistema constituído por distintas funções psicológicas que, integradas, caracterizam a forma peculiar de cada indivíduo atuar no mundo. É um sistema estável. Assim, a personalidade desenvolvida caracteriza-se por determinadas reações unívocas aos acontecimentos (relativa unidade de comportamentos, reações do indivíduo ao que acontece no seu entorno) e por valores unitários. 

Isso significa que ela não é meramente reativa as situações. Uma pessoa com personalidade madura tem consciência das possibilidades, dos motivos da conduta e, acima de tudo, pode dominar ativamente o comportamento. É na infância que se estabelecem os primeiros níveis da formação da personalidade do indivíduo. Esse é o período espontâneo do desenvolvimento desse sistema.

É nos primeiros anos de vida que a criança aprende valores, normas de conduta e capacidades especificamente humanas. Assim, ela torna- se capaz de se expressar de maneira singular diante do mundo: ela forma uma consciência cada vez mais complexa sobre os objetos e conhecimentos, sobre as relações humanas e, sobretudo, sobre si mesma (a autoconsciência). Esse processo é mediado pelas situações que a criança vivencia. Por isso, podemos afirmar que a personalidade de cada um resulta de sua biografia: das condições de vida e educação, da presença familiar, das atividades que desenvolve, das aprendizagens que empreende e do desenvolvimento do psiquismo.

Por essa razão, o processo educativo intencional e sistematizado que acontece na escola da infância assume um papel fundamental. Pode-se dizer que, com a organização adequada da vida da criança e com as experiências vividas nos três primeiros anos de vida, a criança terá formado ou estará em vias de formar:

- A percepção semântica do mundo, que permite que ela compreenda a realidade de maneira integrada;
- A memória;
- O pensamento verbalizado;
- A linguagem intelectualizada;
-  A atenção cada vez mais concentrada, que a libera das reações a todo e qualquer estimulo presente em seu campo perceptivo;
- A possibilidade de realizar ações com objetivos indiretos;
- A representação simbólica, que permite o uso de objetos substitutivos para representar objetos reais;
- A consciência, primeiro afetiva e cada vez mais racional de si como pessoa, que além de realizar ações também participa de relações como um “eu social”.

Assim, à medida que a criança vai crescendo e vivenciando situações diferentes (vendo, ouvindo, imitando e realizando por si própria o que aprende com as pessoas que vivem ao seu redor, participando da vida em sua família, comunidade e sociedade), novas formações vão se construindo em seu cérebro e novas relações vão sendo estabelecidas pela criança com o seu entorno social. Assim, a presença é o melhor presente. Mas não qualquer presença. É preciso que se presentei toda hora, exemplificando valores humanos.

Presenteie com bom humor, com olhar otimista, com palavras presentes, com os sonhos a serem realizados de forma saudável. Afinal, a personalidade é constituída pela sua presença.  

* Dra. Virginia Elizabeth Suassuna Martins Costa é mãe de 3, avó de 3. Casada com o Chef Tony por 36 anos. Atualmente viúva. Psicóloga formada pela USP, doutora pela UnB, professora da PUC-GO, Gestalt-terapeuta com formação no Brasil e exterior. Proprietária da Gestalt Clínica, ITGT e do Instituto Suassuna. Autora de livros, capítulos de livros, artigos e pesquisadora do CNPq.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA