Mulheres em Círculo

Ser mulher: com todas as letras e com toda potência

Shutterstock


Nos últimos anos, tenho pensado muito sobre o sentido da vida. Qual o meu propósito para a vida? O que me faz vibrar ao acordar? Foi a partir de tantos questionamentos e por me sentir tantas vezes fora do meu lugar, que me envolvi com as nossas questões, as questões do “ser mulher”, e sobre a essência feminina em uma sociedade machista, misógina, patriarcal. Ser mulher em nossa sociedade ainda nos é muito caro. 

O projeto Círculo Psicoterapêutico de Mulheres nasceu dessa minha inquietação e necessidade de servir à vida, de me colocar a serviço das mulheres. Mulheres que, como eu, desejam ver a vida deslanchar, sair do lugar de vítima, ficar em paz com as outras mulheres, se redescobrir com toda potência, força e sensibilidade. E o projeto para este nosso blog está diretamente relacionado com o meu propósito de trabalhar com mulheres, abrindo espaço para uma escuta ativa e de ressignificação da nossa história de vida.

A intenção é nos ajudar a reconciliar com a nossa intuição e força, compartilhar com essas mulheres a possibilidade de construir um novo caminho afetivo com o trabalho, com a família, com os amigos, com a natureza, com a vida. Sendo assim, é uma rede de apoio às mulheres. Nós, mulheres, vamos conversar sobre aquilo que é de todas nós. Vamos conversar sobre autonomia, sororidade, sobre a importância de estarmos juntas e sermos empática entre nós. 

Vamos dizer sim ao feminino e também dizer sim ao masculino. Ampliar a nossa escuta, ouvir o que é importante para nós, seja na dimensão física, do sujeito desejante ou espiritual. Eu sei, e você também sabe, que nós, mulheres, quando estamos juntas e quando nos unimos, somos melhores, mais fortes. Somos capazes de praticar a sororidade, a compaixão. Vamos buscar a nossa alma feminina, valorizar a nossa sensibilidade e intuição.

Seguimos juntas!

* Maria Lúcia Oliveira é psicóloga clínica, facilitadora de circulo psicoterapêutico de mulheres, com especialização em terapia familiar e de casal. Também possui especialização em psicopatologia, formação em educação sistêmica e mestrado em ciências da religião.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Arquivo pessoal
Maria Lúcia Oliveira
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA