Papo Musical

Música entre mãe e filha

Reprodução


O Prelúdio nº 2 de Chopin (1810-1849) é parte central de uma das mais famosas cenas do filme Sonata de outono (1978), do sueco Ingmar Bergman (1918-2007), cuja história gira em torno do relacionamento entre uma mãe pianista bem sucedida, Charlotte (Ingrid Bergman), e sua filha emocionalmente fragilizada, Eva (Liv Ullmann). 

Ambas as personagens interpretam a obra do compositor polonês. Eva toca primeiro, enquanto Charlotte a escuta. Depois, as posições se invertem e a mãe toca o mesmo Prelúdio de Chopin: um diálogo mudo entre uma mãe aparentemente indiferente e uma filha amedrontada. Charlotte olha para Eva com um misto de decepção e pena diante da falta de talento da filha e, então, ensina-a como se deve tocar: 

“Há dor, mas sem parecer. Depois um breve alívio. Mas ele some de repente, e a dor continua a mesma.”

Enquanto a mãe toca o mesmo Prelúdio com toda a sua maestria, a filha  a observa com amargura, constatando sua aparente derrota em mais uma batalha emocional, e diz:

“Será que a infelicidade da filha é o triunfo da mãe? Mãe, será que a minha tristeza é a sua satisfação secreta?”

Charlotte responde:
 
“Eu não queria ser sua mãe. Eu queria que você soubesse que sou tão indefesa quanto você.” 

Sonata de outono, como o próprio nome sugere, possui uma relação direta com a música. Sua construção é correspondente a uma composição musical. Bergman, mais do que narrar uma história, escreve uma música. A Sonata possui um primeiro movimento Allegro, mostrando as cenas da chegada de Charlotte, o encontro da mãe com sua outra filha Helena e os preparativos para o jantar. O segundo movimento, como uma sonata clássica, de tempo mais lento, revela mãe e filha ao piano, interpretando o Prelúdio nº 2 de Chopin. Por fim, o último movimento, mais rápido e intenso, marcado pela discussão de mãe e filha durante a madrugada, quando todas as mágoas guardadas por anos vêm à tona.

Na semana que comemoramos o Dia das Mães vai aí a sugestão de uma bela peça musical e de um filme que fala de música, de amor, de ódio, de medo, de culpa e de perdão. É um filme para se ver e rever, com fotografia incrível, direção magnífica, atuações primorosas e diálogos excepcionais. Em Sonata de outono, Ingmar Bergman prova mais uma vez o porquê de ser conhecido como o maior desbravador da alma humana.

Ouviremos, então, o Prelúdio n. 2 do polonês Frédéric Chopin (1810-1849), interpretado pelo pianista russo Grigory Sokolov (1950).

Ficha Técnica:

Sonata de Outono - data do lançamento: outubro de 1978 (EUA)
Direção: Ingmar Bergman
Roteiro: Ingmar Bergman
Música composta por: Frédéric Chopin, Johann Sebastian Bach, Georg Friedrich Handel
Prêmios: Prêmio Globo de Ouro: Melhor Filme Estrangeiro 

Elenco: 

Ingrid Bergman:Charlotte Andergast
Liv Ullmann: Eva
Lena Nyman: Helena
Halvar Björk: Viktor
Marianne Aminoff:  secretária de Charlotte
Arne Bang-Hansen: tio Otto
Gunnar Björnstrand: Paul
Erland Josephson: Josef
Georg Lokkeberg: Leonardo
Mimi Pollak: instrutora de piano
Linn Ullmann: Eva quando criança

*Gyovana Carneiro é professora da Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, doutora em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa – Portugal. Promove séries de Concertos em Goiânia.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA