Viva Saúde

Essa tal felicidade...

Shutterstock

 

Um dia acordei e tudo parecia “redondinho” na minha vida. Pensei: “finalmente! Agora vou ser feliz. Está tudo dando certo na minha vida”. Saí da cama, feliz, plena e realizada. Fui para o mundo viver essa tal da felicidade. O problema é que esqueci de avisar para as pessoas e para o mundo que o meu momento de ser feliz havia finalmente chegado. E quando fui para o mundo, os problemas continuaram acontecendo, as pessoas insistiam em me desapontar e o meu dia não estava acontecendo exatamente como eu planejei. E aquela tal felicidade, que parecia ter chegado definitivamente em minha vida, foi indo embora diante de cada situação indesejada e desagradável do meu dia. 

Como assim? Eu não seria feliz para sempre? Para evitar entrar em contato com essa triste realidade do fim da minha felicidade plena, decidi ir às compras, me deliciar com um chocolate maravilhoso, navegar nas redes sociais, assistir a uma comédia romântica... Enfim, voltei para o círculo vicioso de buscar prazer e realização em coisas e situações fora de mim. Mas passado o entusiasmo inicial que todas essas atividades me proporcionavam, o descontentamento, a insatisfação, a tristeza e o desânimo voltavam e aquela tal felicidade me escapava mais uma vez.
 
Será que não tinha uma receita mágica que pudesse garantir a permanência dessa visita tão inconstante em minha vida? Será que essa tal felicidade não poderia fixar residência em meu ser?  Eu estava destinada a viver eternamente esse ciclo vicioso? Socorro! Será que alguém poderia me salvar desse movimento cíclico de bem-estar e mal-estar?
 
Foi tentando encontrar respostas para essas perguntas que iniciei minha jornada em busca dessa tal felicidade que parecia estar ao alcance de todos os meus amigos das redes sociais, mas que fugia incansavelmente de mim. E foi então que encontrei a psicologia positiva: a ciência da felicidade e do bem-estar subjetivo.  O estudo da psicologia positiva me trouxe uma boa e uma má notícia. A boa é que é possível sim criar uma mudança positiva, que sustente a nossa felicidade e o nosso bem-estar. Essa ciência nos apresenta um conjunto de técnicas testadas e validadas cientificamente que pode ampliar nossa consciência para o sentido da vida, melhorando nosso bem-estar e nos dando condições de sustentar a felicidade. 

Já a má notícia é que não existe uma fórmula mágica para isso. Ninguém pode me entregar a felicidade processada e pronta para ser consumida. Somente eu posso mudar. A psicologia positiva revela o caminho, mas somente eu posso percorrê-lo. O processo de transformação interna para criar uma felicidade sustentável depende da minha persistência e da minha disponibilidade de adquirir o hábito de mudar. Mas vamos combinar que essa aparente má notícia veio carregada de esperança: existem passos concretos que podemos dar para criar uma mudança intencional positiva.

A mudança positiva funciona e é cientificamente comprovada, mas é preciso trabalhar para que ela ocorra. E é exatamente sobre esses passos para realizar uma mudança positiva em sua vida e sustentar sua felicidade que falarei nos próximos blogs. Vem comigo! Vamos juntos percorrer essa jornada ao encontro dessa tal felicidade. Te espero no próximo blog! 

*Yara Carvalho é pedagoga, psicopedagoga e especialista emocional. Tem pós-graduação em Psicologia Analítica e Psicologia Transpessoal e várias formações na área de desenvolvimento humano, inteligência emocional, relacionamentos interpessoais e Psicologia Positiva. É facilitadora de programas de autoconhecimento e desenvolvimento da inteligência emocional e de workshops para pais que desejam investir em seus relacionamentos familiares e na educação emocional dos filhos. 

Os comentários publicados aqui não representam a opinião da plataforma e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA