Beleza

Como conseguir dentes mais brancos

Shutterstock


O clareamento dental é, sem dúvida, um dos tratamentos mais populares da odontologia. Afinal, esse procedimento, que resulta na melhora estética do sorriso e traz benefício para a autoestima, pode ser a melhor opção para pessoas que não estão satisfeitas com a cor dos dentes. No entanto, mesmo parecendo um tratamento simples, é importante ressaltar que o dentista é o único que pode orientar sobre a forma segura de se fazer o tratamento. Por isso, a cirurgiã-dentista Paula Kotake Ribeiro esclarece as principais dúvidas sobre o assunto.

Para quem é indicado o clareamento dental?

O clareamento dental é uma ótima opção para as pessoas que buscam dentes mais claros de forma natural. No entanto, esse procedimento não é indicado para todas as pessoas.

Quais são as contraindicações?

O clareamento dental não deve ser realizado em crianças menores de 13 anos, em gestantes, lactantes, pessoas que tenham alergia a peróxido de carbamida ou hidrogênio e pacientes que estejam fazendo tratamento de doenças graves. Além disso, problemas como gengivite, doença periodontal e procedimentos como restaurações extensas são fatores limitantes do tratamento. As restrições atingem também os fumantes inveterados.

Quais são as atuais técnicas disponíveis?

Atualmente temos o clareamento externo, que é realizado em consultório e que pode ser feito com dois tipos de ácidos. Usamos o peróxido de hidrogênio, que clareia mais rápido, porém dá mais sensibilidade, ou o peróxido de carbamida, que nos permite controlar a sensibilidade, mas demanda mais sessões. Nesse caso, o tempo na cadeira do consultório por sessão é, em média, de uma hora. Também há o clareamento caseiro, no qual a pessoa faz o procedimento em casa com uma placa de clareamento moldada para o paciente e o agente clareador, que devem ser usados por até duas horas por dia durante quatro semanas, em média. Existe ainda o clareamento interno, que não é indicado, já que estudos mostram que o contato do agente clareador nos tecidos periodontais pode levar a um processo inflamatório localizado, expondo mais a dentina.

O clareamento dental aumenta a sensibilidade?

Sim, a sensibilidade é o efeito adverso mais frequente relatado no clareamento dental. Por isso, ela é a principal causa de desmotivação dos pacientes, mas com o uso do protocolo correto é possível reduzir esse efeito indesejável.

Durante o clareamento é preciso evitar certos alimentos?

Alimentos ácidos, como limão e abacaxi, devem ser evitados, pois contribuem com o aumento da sensibilidade. Antes orientávamos também a evitar alimentos que tivessem muita pigmentação. No entanto, estudos recentes mostram que o consumo desses alimentos durante o processo de clareamento não causa alteração no resultado final. Então, atualmente é liberado tomar café, vinho, consumir molho de tomate etc.

É preciso fazer o clareamento dental mais de uma vez na vida?

Não necessariamente. Isso vai depender muito do estilo de vida do paciente. Aqueles que são tabagistas, tomam muito café ou vinho e consomem em excesso alimentos que tendem a pigmentar os dentes, provavelmente terão necessidade de fazer o clareamento mais de uma vez.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.