Beleza

Dia das Mães: mommy makeover

Shutterstock


O parto é mais que dar à luz o bebê. É o momento simbólico de separação em que o corpo da mãe, antes dividido com o novo ser, volta a pertencer apenas a ela. Apesar do aconchego, da conexão profunda da amamentação e da alegria de ter o filho nos braços, as semanas seguintes trazem de volta a vaidade e a vontade de estar confortável em seu corpo de novo, dando início à busca pela retomada da silhueta.
 
Mudanças corporais

Com a gestação, as alterações hormonais e metabólicas começam a preparar o corpo da mãe para o desenvolvimento do bebê, e isso inclui ganho de peso, retenção de líquidos, aumento das mamas e da circunferência abdominal, alterações de pigmentação com mudança da cor da pele, surgimento de estrias e varizes. A maioria dessas mudanças é transitória e, após o nascimento do bebê, o corpo já começa a voltar ao normal. Porém, a recuperação é individual e depende de como cada uma se preparou para passar por esse período.
 
O movimento

Como muitas outras novidades, o movimento surgiu nos Estados Unidos e propõe um “combo” de cirurgias plásticas para rejuvenescer o corpo após o nascimento do bebê. É o Mommy makeover, que já começa a aparecer no Brasil. Os procedimentos mais comuns são a lipoaspiração, a abdominoplastia e a mastopexia com ou sem prótese.
 
A combinação dessas opções é comum, mas depende da avaliação do cirurgião plástico sobre os riscos para que tudo ocorra da maneira mais segura possível. “O biotipo da paciente, o tempo do procedimento e extensão da área corporal a ser operada determinam a liberação ou não das associações. Combinações menores como mastopexia e abdominoplastia ou lipoaspiração e abdominoplastia são as mais frequentes e de rápida recuperação”, diz o  cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Eduardo Ferro
 
No consultório do médico, 70% das cirurgias são de “transformações de mamães”. Normalmente, os procedimentos são indicados apenas seis meses após o término da amamentação, ou seja, no mínimo um ano após o parto. “Esse é um período seguro para que a mama não esteja produzindo mais leite e o corpo esteja preparado para o procedimento”, diz Ferro.
 
Lipoaspiração

Já muito conhecida pelas mulheres, a lipoaspiração ou lipoescultura consiste na aspiração de tecido gorduroso de certas regiões do corpo. Primeiro se aplica uma solução com soro fisiológico e um anestésico para facilitar a retirada da gordura, sempre em ambiente hospitalar com suporte necessário para uma cirurgia segura. A gordura tratada e purificada pode ser usada para preencher os contornos corporais, até lábios e rosto. Em 10 a 15 dias a paciente retorna às atividades profissionais.
 
Abdominoplastia

É a retirada do excesso de pele abdominal e a correção da temida diástase, que é o afastamento dos músculos reto abdominais, situação comum em pacientes que tiveram filhos ou que passaram por cirurgia bariátrica. A cicatriz final acompanha a cesárea lateralmente aos ossos do quadril e no umbigo também. O tempo de recuperação é em torno de 15 a 20 dias.
 
Mastopexia com ou sem prótese

A mastopexia é a cirurgia de correção da queda das mamas. O resultado final do procedimento é o levantamento das mamas ou o conhecido efeito lifting. Pode ser realizada com ou sem o uso de próteses de silicone. Quando não usadas, o próprio tecido mamário preenche o seio. A cicatriz resultante da cirurgia é em formato de T invertido, e a recuperação leva cerca de 15 dias. 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.