Beleza

Lifting das mamas devolve autoestima às mulheres

Shutterstock

Com a valorização da diversidade na beleza e dos discursos de empoderamento feminino, as mulheres vivem um momento importante de aceitação de seus contornos e de sua individualidade. Até nos consultórios de cirurgiões plásticos, a busca é por procedimentos para se sentir bem com o próprio corpo, ainda com contornos naturais e sem a necessidade de se parecer com mulheres famosas. Nesse cenário, a mastopexia ou lifting das mamas, apesar de não ser uma técnica nova, continua entre as cirurgias mais procuradas.
 
Indicações

Como qualquer procedimento estético, é necessária uma avaliação individualizada para definir se a cirurgia é indicada para a paciente. Amamentação, sobrepeso, obesidade ou seios volumosos desde a adolescência são alguns dos fatores que podem causar queda das mamas e flacidez da pele em mulheres ainda jovens ou até a meia-idade. Nesses casos, a mastopexia é indicada porque o procedimento reestrutura a glândula mamária, retira o excesso de pele e reposiciona a aréola e o tecido dos seios através de um corte em “T” invertido. A cicatriz fica escondida pelas roupas íntimas ou de banho.
 
Motivos para lifting de seios

- Incômodo com a sensação de que os seios perderam forma e volume
- Seios com formato alongado e pendentes
- Mamilos abaixo da dobra da mama quando não sustentados
- Aréolas e mamilos apontando para baixo
- Pele flácida e aréolas alargadas
- Uma mama mais baixa que a outra
 
“Para as pacientes com queda mamária ou excesso de pele que querem manter o tamanho da mama ou diminuí-la, o procedimento indicado é apenas a mastopexia. Já as pacientes que possuem queda mamária com excesso de pele, mas desejam também aumentar o volume da mama, a indicação pode ser de mastopexia com a colocação de prótese de silicone”, afirma o cirurgião plástico Célio Leão.

Pós-operatório

Os cuidados no pós-operatório são fundamentais para a boa evolução da cirurgia. Incluem repouso de 15 dias, uso do sutiã cirúrgico, pouco movimento com os braços nos primeiros dias e não dirigir por um período de até 30 dias. Aos poucos as atividades vão voltando ao normal e, em cerca de um mês, a paciente retoma o trabalho. Com três meses, ela está livre para qualquer atividade.

Autoestima lá em cima

Além da melhora da aparência da mama, a cirurgia promete uma verdadeira mudança no estilo de vida porque tem impacto direto na autoestima e autoconfiança. “É muito comum pacientes que passam por cirurgias como essa começarem a frequentar academia ou iniciar práticas esportivas como corrida e natação. Já vi casos em que a mudança é tão grande que o marido também vem em busca de procedimentos como botox, lipoaspiração e facelifting”, diz o médico.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.