Beleza

Ultrassom microfocado é opção no combate à flacidez

Divulgação / Reprodução


A população brasileira está envelhecendo. Isso é um fato. Segundo as estimativas, até 2055 o número de brasileiros com mais de 60 anos deve superar o de pessoas com até 29. Assim, buscar as melhores formas de lidar com os efeitos do tempo é uma realidade cada vez mais necessária. Métodos de prevenção ao envelhecimento muito positivos, tanto do ponto de vista estético quanto para a saúdem se tornaram parte do cotidiano. 

Diante da perda natural de colágeno da pele com o decorrer dos anos, por exemplo, algumas técnicas podem garantir a suavização de fatores como a flacidez cutânea. Entre um dos procedimentos que adquiriram status de queridinho do momento está o ultrassom microfocado. “Essa tecnologia provoca uma lesão térmica controlada em camadas mais profundas da pele, induzindo a remodelação de colágeno e consequentemente suavizando a flacidez da pele”, caracteriza a médica Claudiana Godoy. 

Os aparelhos utilizados para a realização do ultrassom microfocado são o Ultraformer, o Ulthera e o Ultraskin. A técnica pode ser feita em todos os tipos de pele e é caracterizada pelo estímulo de pontos de coagulação sob a pele, tanto na zona mais profunda da derme quanto na camada muscular, causando uma contração imediata do colágeno, o que resulta na formação da substância. “O maior benefício está na capacidade de estimular o colágeno de forma mais natural e intensa do que técnicas mais antigas. A duração varia de acordo com a idade do paciente: de 12 a 18 meses em jovens e de 6 a 12 meses em pacientes com grau maior de flacidez”, explica o dermatologista Paulo Fernando Andrade. 

Enquanto outros procedimentos, como a radiofrequência e os bioestimuladores injetáveis, necessitam de mais de uma sessão para a eficácia dos resultados, o ultrassom microfocado requer apenas uma. Ainda de acordo com o médico, o procedimento, que dura cerca de uma hora, pode ser utilizado para diversas regiões do corpo, como pescoço, a chamada “papada”, contorno do rosto, bolsas nos olhos e na região ocular no geral, além de abdômen, braços, coxas e quadris. 

No caso da zona facial, o ultrassom microfocado também atenua linhas de expressão e rugas, além do combate à flacidez. “É possível haver uma sensibilidade temporária na região tratada nos primeiros dias após a realização do procedimento, mas o paciente fica livre para retornar normalmente às suas atividades”, esclarece o profissional. Vale lembrar que primeiramente é feita a avaliação pelo profissional capacitado para averiguar se há a necessidade de aplicação do procedimento.

“A estimulação de colágeno ocorre de forma progressiva. Após 60 dias do procedimento podemos observar resultados satisfatórios e esses podem permanecer por até dois anos, dependendo do estilo de vida e dos cuidados com a pele no dia a dia”, complementa Claudiana.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.