Casa

Carol Costa: a arte de cuidar de plantas

Shutterstock


“Plantar é um uma atividade e tanto contra o estresse. A jardinagem virou a minha forma de meditação.” Quem revela a ferramenta de terapia é a jornalista Carol Costa, que deixou 20 anos de profissão para se dedicar ao mundo da jardinagem. “E se eu fizesse uma revista digital sobre plantas?”, pensou. Criadora do site minhasplantas.com.br e autora do livro Minhas Plantas – Jardinagem para Todos (Até quem mata cactos), Carol também já participou do programa Mais Cor, Por Favor, do canal GNT. Em conversa com Ludovica, ela dá dicas para as pessoas que amam plantas, mas não fazem ideia de como cuidar delas, principalmente das queridinhas suculentas. Então passe uma borracha no passado e esqueça a ideia de que a sua suculenta vai morrer três dias depois de tê-la tirado do supermercado. Você vai se apaixonar pelo universo verde.

Por que algumas pessoas acham difícil cuidar de plantas?

Não existe planta difícil. Qualquer planta é fácil se você tem na sua casa as condições para ela crescer. Planta de lugares desérticos e secos, onde venta muito e com alta diferença de temperatura entre o dia e a noite, não pode ficar dentro de casa porque não terá condições semelhantes às de origem: ou ela não vai receber luz direita ou o ambiente vai estar muito úmido. A planta desenvolveu esse jeito de crescer ao longo de milhões de anos. Não vamos tentar mudar o esquema, né?
 
Existe um “esqueminha geral” para começarmos a entendê-las?

As plantas de ciclo de vida anual têm um prazo de seis meses a um ano, no máximo, como a maioria das hortaliças – alface, cebolinha, salsinha, rúcula, agrião – e flores como margarida, girassol. Você semeia, ela começa a crescer, dá a flor, gera um monte de semente no chão e morre. Essas são as plantas anuais. Temos ainda as bianuais, que também não duram muito. Tirando essas duas, a maior parte é perene, vive longos anos, com ciclo de vida muito maior. Então temos que aprender a lidar com a expectativa de duração de cada uma delas. Se o alecrim está morrendo, aí sim tem alguma coisa errada. As suculentas também são perenes, todas elas. Armazenam água e são típicas dos lugares mais hostis do mundo. Então se elas estão dentro de casa, sem tomar sol, vão morrer com certeza.
 
Como saber a quantidade de luz ideal para que a suculenta tenha vida longa?

Elas precisam de praticamente todas as horas do dia em que há sol forte, em torno de oito horas. Algumas espécies são de meia-sombra, como a “flor de maio” (quatro horas por dia). Mas a maioria das espécies vendidas em supermercado é de sol forte. Vale um alerta: não vai dar certo pegar o vaso e colocar no sol direto. A transição é aos poucos. Se você colocar na sombra hoje e no sol amanhã, ela vai morrer.
 
É preciso prepará-las após a compra?

As suculentas crescem em solo arenoso. Então você vai preparar o vaso assim: encha metade do recipiente com substrato comum (terra) misturado à areia comum (não sendo areia da praia). Quanto mais areia, menos ele retém água. Sobre a rega, a pessoa ouve falar que o bom é colocar um pinguinho por dia. Mas o ideal é colocar bastante água e estabelecer um intervalo entre uma rega e outra. Não molhe todo dia um pouquinho! Isso faz a planta apodrecer. E quando for molhar, jogue a água na terra, não na planta, principalmente se não estiver no sol forte. Dê um intervalo de pelo menos 15 dias e, quando for regar de novo, molhe um montão.
 
Para quem aprecia plantas com o objetivo decorativo, qual é a dica?

Sugiro as plantas de cerca viva, fazendo barreira contra o vento, sombra numa área muito quente, num gramado ou disfarçando uma vista feia. Assim, as plantas são uma ferramenta e tanto. E não há nada de errado com esse lado funcional. É bom que tenham. E você deve ter em mente o que precisa ser feito para cuidar dessa opção de planta.

 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.