Comportamento

Atendimento odontológico domiciliar

Shutterstock


De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), aproximadamente 10% da população mundial possui algum tipo de deficiência. Além disso, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística mostram que a população idosa (acima de 60 anos) deve dobrar no Brasil até o ano de 2042, em comparação aos 28 milhões de idosos que o país tinha em 2017. Essas informações mostram que a assistência domiciliar deve ser uma forma de atendimento em expansão nos próximos anos. Ela visa otimizar custos e proporcionar qualidade de vida a esse público, inclusive com serviços de home care odontológico. A clínica geral Andréia Martins Portela explica como funciona esse serviço.

Quais são os maiores benefícios da odontologia domiciliar para os pacientes?

Uma vez eliminadas barreiras como mobilidade reduzida ou inexistente, muito comum na vida de idosos e pessoas portadoras de deficiência, sindrômicos ou não, acamados totais ou parciais, haverá maior acesso à odontologia, seus benefícios e terapias. Podemos citar a diminuição do medo que as pessoas normalmente têm do ambiente do consultório, a interrupção da rotina, salutar para essas pessoas que vivem tão restritas de convívio social diverso, maior independência, aumento da autoestima, socialização, resgate da dignidade e todos os benefícios que um atendimento odontológico pode proporcionar aos pacientes. Além disso, há redução dos custos hospitalares. 

Quem são os principais pacientes dos atendimentos em home care?

Os atendimentos em home care podem ser destinados a qualquer público, mas encontra seus alicerces no atendimento a idosos ou pessoas que tenham dificuldades ou impedimentos de locomoção, como pessoas acamadas, idosos moradores de residências geriátricas de longa permanência ou day clinic que não possuam consultório odontológico, portadoras de deficiências físicas e/ou intelectuais, entre eles os portadores de síndromes incapacitantes, pessoas em pós-operatório e com relatos de dor de origem odontológica, familiares que são cuidadores 24 horas e não podem se ausentar, além de pacientes em limitação de esforços ou cuidados paliativos.
 
Como esses atendimentos são realizados?

Preferencialmente, são realizados nos ambientes onde esses pacientes se encontram, havendo transferência de leito ou ambiente caso se perceba na primeira consulta que esse local não atende as condições mínimas de higiene, luminosidade e ventilação. Usa-se para o atendimento odontológico domiciliar equipamentos portáteis, como equipo/compressor, instrumentais, fotopolimerizador, aparelhos de laserterapia, ultrassom, equipamentos de biossegurança e esterilização, materiais de consumo, automóvel para transporte dos equipamentos, recipientes para transporte e acondicionamento do lixo gerado no atendimento.

Quais são os passos que o paciente deve seguir caso deseje o atendimento em home care?

Inicialmente o paciente deve agendar uma consulta, que será realizada no local onde ele se encontra e durante a qual serão levantados todos os dados relevantes quanto à condição sistêmica, medicações, limitações físicas, de comportamento e neurológicas.

Qualquer profissional da odontologia pode realizar esse tipo de atendimento?

Sim, desde que apto e capacitado para atendimento de emergências médicas/odontológicas, manuseio de pacientes acamados, interações medicamentosas, condicionamento comportamental do paciente, entre outros. Mas dispor-se a atender em domicílio sem a capacitação esperada, como em odontologia hospitalar e odontologia para pessoas com necessidades especiais e habilitação em laserterapia fotodinâmica é o mesmo que colocar em risco, todos os dias, a vida desses pacientes. Lembrando que, diante de uma situação emergencial e grave durante o atendimento odontológico domiciliar

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.