Comportamento

Dia das Mães: congelamento de óvulos

Reprodução / Instagram
A apresentadora Karina Bacchi, de 40 anos, congelou óvulos ainda aos 35 anos, enquanto não pensava em ter filhos

Cada vez mais independentes, com sonhos, carreira e agenda cheia de compromissos, as mulheres estão optando pela gravidez mais tarde, geralmente a partir dos 35 anos, e fazem crescer a procura por congelamento de óvulos nas clínicas de reprodução humana.
 
Isso porque, com o passar dos anos, o relógio biológico feminino diminui a quantidade e a qualidade dos óvulos que a mulher possui, uma vez em que ela já nasce com todos os óvulos que terá durante a vida. Mas, ainda mais importante que a diminuição da reserva ovariana, talvez seja a piora da qualidade dos óvulos, que também ocorre com o passar dos anos. Essa piora leva a uma menor chance de gravidez, maiores riscos de abortamento, malformações e síndromes.
 
Algumas famosas já tiveram filhos após congelarem os óvulos. Entre elas, está a cantora Ivete Sangalo, 45 anos, que recentemente deu à luz as gêmeas batizadas como Marina e Helena. A cantora, que já era mãe de Marcelo, decidiu congelar seus óvulos, não escondendo o desejo de ser mãe novamente. Ela revelou que a medida foi apenas uma precaução de fertilidade, já que não abriria mão dos métodos tradicionais.

O especialista em reprodução humana Matheus Roque explica que a melhor idade para o congelamento é abaixo dos 36 anos, apesar de não existir uma contraindicação ao congelamento feito posteriormente. “Mesmo feito esse procedimento, há também a chance de a mulher ter uma gravidez de forma natural. Se isso não ocorrer, esses óvulos podem ser utilizados para uma reprodução assistida”, diz.
 
Além de Ivete, a apresentadora Karina Bacchi, de 40 anos, congelou óvulos ainda aos 35 anos, enquanto não pensava em ter filhos. Atualmente, ela é mãe de Enrico e engravidou por meio de uma fertilização in vitro, com sêmen de um doador internacional. Já a apresentadora Sabrina Parlatore, 42, congelou os óvulos por causa de um câncer de mama, já que o tratamento pode causar infertilidade. “Todas as pacientes em idade reprodutiva que irão se submeter a tratamentos oncológicos têm a indicação de fazer também um tratamento de preservação da fertilidade”, enfatiza Roque.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.