Comportamento

Dia das Mães: projeto baba, baby

Shutterstock

 
Dieta do Ponto Z, South Beach, Atkins, da Princesa Katie... são muitas opções de cardápios disponíveis na internet com o rosto de alguma atriz. Mas a primeira dica para voltar ao corpo de antes da gravidez é: esqueça o pós-parto maluco das famosas. Se há uma regra geral, é comer alimentos naturais e amamentar bastante para viver com saúde e plenitude após a chegada do bebê.
 
Para gestantes e mulheres em período de amamentação, as dietas restritivas são totalmente inadequadas. Beber muito líquido, consumir proteínas e micronutrientes, como o cálcio, e descansar são fatores que interferem diretamente na produção de leite. A alimentação fracionada em seis refeições ao longo do dia também colabora para o funcionamento do organismo e do sono.
 
Amamentação de qualidade

A lactação é a fase de maior demanda energética no período reprodutivo, por isso é enorme o gasto calórico. “Para garantir quantidade e qualidade do leite materno, é importante incrementar na dieta fontes de vitaminas A e C, de cálcio e ferro”, orienta a médica ginecologista Ana Flávia Cavalcante.

Fontes de vitaminas:

- Vitamina A: fígado, carne, gema, leite, vegetais verde-escuros, legumes e frutas amarelo-alaranjados.
- Vitamina C: laranja, kiwi, caju, goiaba, brócolis.
- Cálcio: leite, derivados e vegetais folhosos.
- Ferro: fígado e na carne vermelha.
 
Alimentação de qualidade

Chás calmantes de camomila, erva-cidreira e maçã são muito bem-vindos para ajudar no relaxamento e bem-estar da mãe. “Alimentos como pães, bolos, biscoitos e produtos açucarados devem ser evitados principalmente no período da noite, pois induzem à produção de hormônios do estresse, como cortisol, adrenalina e noradrenalina. Evite também alimentos com cafeína, que interfere na qualidade do sono”, afirma o nutrólogo Reynaldo Pedrosa.
 
Antes da gravidez

Segundo a ginecologista, mulheres com sobrepeso e obesidade têm maior risco de complicações no parto e pós-parto, como hemorragia, infecção de ferida operatória e eventos tromboembólicos. Se o peso excessivo se mantém, aumenta o risco de depressão pós-parto, diabetes e hipertensão crônica ao longo da vida, além de complicações cardiometabólicas no futuro.

Peso durante e após a gestação

A matemática é simples. Os obstetras recomendam ganho de peso durante a gravidez de no máximo 12 quilos. Após o parto, em média quatro quilos são eliminados, considerando o peso do bebê, da placenta e do líquido amniótico. Cerca de dois quilos ligados ao excesso de retenção de água são eliminados nos primeiros meses pós-parto. Restam seis quilos, que podem ser perdidos sem dificuldade com a associação da amamentação com uma dieta equilibrada. Você estará no seu peso pré-parto ao final do sexto mês sem grandes sacrifícios e sem passar fome. (Nutrólogo Reinaldo Pedrosa).

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.