Comportamento

Dicas para não deixar a azia atravessar a folia

Shutterstock


Carnaval é significado de festas e diversão. No entanto, é comum, no dia seguinte, parecer que levamos a Sapucaí para a casa e que o samba continua na cama. O que muitos foliões não sabem é que esse incômodo pode ser proveniente de problemas estomacais, já que entre um bloco e outro ou na folia dos desfiles das Escolas de Samba, vilões da alimentação podem estar fantasiados de bons moços. 

Na correria, é um refrigerante aqui, um salgadinho com pimenta ali. Por outro lado, tem gente que se diverte tanto que esquece até de comer. "A dor de cabeça proveniente do estômago é mais comum após o consumo de determinados alimentos e bebidas, como chocolates, café, chás, refrigerantes e comidas picantes. Mas ficar sem comer por muito tempo também pode provocar a mesma dor", explica Ana Santoro, Gerente Médica da GSK Brasil.

O segredo de um dia seguinte sem esses sintomas pode estar em pequenas mudanças. Mas, em alguns casos, também é preciso buscar a origem desse problema. "Geralmente, os sintomas gastrointestinais estão presentes antes e durante o aparecimento da dor de cabeça. Observar se a dor de cabeça começa junto ou após o aparecimento dos sintomas gastrointestinais é a grande dica para saber sua origem", ressalta a doutora.

Porém, quando a azia e a dor de cabeça atravessam o samba, outra forma de combatê-las é com a utilização de antiácidos e analgésicos. Algumas dessas medicações, inclusive, são específicas para esses sintomas associados. "Ela pode ser tratada com Sonrisal, medicamento com efeito dois em um: combate a azia e a dor de cabeça. Mas é importante ter sempre em mente que qualquer sintoma que se torne persistente deve ser investigado e acompanhado por um médico. Vale mencionar ainda que o produto não é indicado em casos de suspeita de dengue", esclarece Ana.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.