Comportamento

Dor no estômago: diagnóstico correto é essencial

Shutterstock


As dores de estômago estão longe de ter somente uma causa. É por isso que realizar o diagnóstico correto é essencial para evitar confusão com doenças que tenham sintomas semelhantes. De acordo com o gastroenterologista Eduardo Berger, do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, essa confusão está relacionada a um incômodo comum, popularmente conhecido como dor na "boca do estômago", localizada no ponto mais alto da região mediana do abdômen.

"Inúmeras situações clínicas provocam sintoma doloroso naquele local, o que confunde quem o está sentindo. O incômodo pode estar atrelado a problemas bíleo-pancreáticos, ou seja, no fígado, vesícula e pâncreas. Além disso, pode estar relacionado com problemas cardíacos e outras afecções digestivas, que envolve apendicite, verminose e outras doenças intestinais", ressalta.

Para evitar um diagnóstico incorreto, observar as características da dor é o primeiro passo. Entre os pontos a serem questionados, segundo o médico, estão a forma como o sintoma surgiu, o tipo, o ritmo, periodicidade e quais fatores o fazem melhorar ou piorar. "Somente após a confirmação de tratar-se de uma doença estomacal, é que os cuidados com alimentação e hábitos de vida serão aconselhados ao paciente. Realmente, na maioria dos casos, o consumo de café e álcool piora o quadro de saúde", diz o gastroenterologista.

Na lista do que deve ser evitado está também o estresse, que aumenta a secreção gástrica e, consequentemente, eleva a dor. Mas além desse mal-estar, a atenção deve ser ampliada a outros sintomas que podem surgir. “As lesões gástricas mais sérias comprometem sensivelmente a digestão. Então, uma perda acentuada do apetite, a sensação de plenitude muito precoce e os vômitos volumosos são sinais de alerta", conclui.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.