Comportamento

Fim da licença-maternidade: como lidar?

Shutterstock

Grande parte das mulheres da atualidade exerce dois papeis: mãe e profissional. Esse binômio não é fácil, mas é possível se souber lidar com alguns desafios, sendo o principal deles a volta da licença-maternidade. Para a psicóloga, Aline Melo, do Grupo São Cristóvão Saúde, o retorno ao trabalho após um período dedicado exclusivamente ao bebê pode gerar sofrimento às mamães. “É importante se lembrar do quanto você gosta de executar o trabalho, dos colegas e da possibilidade de distrair-se com outros assuntos. É preciso se conectar novamente com outros papeis além do maternal e entender que todos podem coexistir”, explica. 

Ainda conforme a psicóloga, conversar sempre com o bebê, falando sobre a necessidade de ausência e que retornará todos os dias, pode ajudar na preparação para quando chegar o fim da licença-maternidade. Para ela, um dos momentos mais difíceis será quando for sair de casa para ir trabalhar. “É comum o sentimento de culpa e a sensação de estar abandonando o bebê. Resistir ao chorinho de separação que o filho pode manifestar ao ver a mãe se afastando é um dos momentos mais complicados. Mas essa situação é um processo adaptativo e a cada dia ficará mais fácil. A mãe verá que vai encontrar o bebê bem, assim como ele também saberá que a mãe vai voltar para ele. De tal maneira, o sentimento de culpa e angústia de ambos vão se apaziguando”, comenta Aline.   

Outro fator importante para confortar as mães na volta ao trabalho é o apoio dos avós e do pai da criança. Confiar em outras pessoas para cuidar do bebê é uma tarefa difícil, já que muitas vezes a mãe acredita que ninguém é melhor do que ela para essa função. “O suporte dessas pessoas acalenta tanto a mãe, que aprendeu a confiar nos cuidados desses familiares, quanto o bebê, que já tem um vínculo com eles, sentindo-se mais seguro”, esclarece a profissional.

De acordo com a especialista, antes do retorno ao trabalho, a mulher deve refletir sobre todos os prós e contras e avaliar se está pronta para lidar com a necessidade de se dividir entre profissional e família. “A importância de voltar ao mercado de trabalho está muito conectada à resposta do que lhe motiva a esse retorno. Se for apenas pelo fator financeiro, pode haver um grau maior de sofrimento. Porém, se há prazer no trabalho e desejo de desenvolvimento na área, o fim da licença maternidade fica mais tranquilo e a mulher passa a compreender que também tem outros pontos a valorizar em si, além do aspecto maternal”, finaliza Aline.

Amamentação 

A continuidade da amamentação no período de volta ao trabalho é algo que deve começar a ser organizado previamente. Segundo a neonatologista Claudia Fenile, do Hospital e Maternidade São Cristóvão, a constituição brasileira concede às mulheres que estão voltando de licença o período de até uma hora para as mamadas até o bebê completar seis meses. Contudo, é muito difícil conciliar os horários do bebê com os do trabalho. "Então, é importante extrair o leite ao longo do dia com bombinhas manuais ou automáticas e armazená-lo em geladeira. Esse leite extraído deve ser armazenado em vidro estéril e rotulado com informações de data e hora. Em geladeira, a validade é de 12h. Em congelador, de até 15 dias”, explica.  

 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.