Comportamento

Recém-nascido: curiosidades sobre o sono do bebê

Shutterstock


Você acredita que houve uma fase da sua vida que você passava apenas cinco horas acordado durante o dia? Pois bem, é que os recém-nascidos dormem muito durante os primeiros meses, mas não necessariamente em períodos uniformes. Na verdade, é comum que o sono dos pequenos dure apenas três ou quatro horas seguidas e que não consigam permanecer mais de duas horas acordados, por vez.

Nessa fase, é mais difícil estabelecer uma rotina, pois o sono do bebê é regulado pela alimentação, saciedade e trocas de fralda, e não pela diferenciação do período diurno e noturno. As crianças que são alimentadas com leite materno acordam aproximadamente a cada duas horas, enquanto as outras costumam despertar a cada quatro horas. 

Segundo a consultora do sono Renata Federighi, da Duoflex, a partir do quinto mês de vida é possível iniciar hábitos mais regulares de sono. “Nessa idade, a criança começa a produzir melatonina e, conforme vão crescendo, os blocos de sono vão ficando maiores”, explica. “Para estabelecer essa regularidade é preciso ensinar a diferença entre dia e noite. Deixar a luz natural entrar no ambiente enquanto o bebê dorme durante o dia e escurecer o ambiente a noite”, orienta a especialista. 

De acordo com uma pesquisa realizada pela National Sleep Foundation, quanto maior a idade, menos horas de sono são necessárias. Até 3 meses, são de 11 a 19 horas; de 4 a 11 meses, de 10 a 18 horas; entre 1 e 2 anos, de 9 a 16 horas, e de 3 a 5 anos, 8 a 14 horas.

E quando introduzir o travesseiro? Segundo especialistas, nos primeiros meses de vida não há necessidade de colocar um travesseiro no berço, sendo mais indicado dormir de barriga para cima em uma superfície plana e macia, acomodando bem a coluninha. 

“Porém, a partir dos seis meses, o bebê já pode começar a usar um travesseirinho bem baixinho e macio apenas para apoiar a cabeça e evitar deformações, como é o caso do modelo antissufocante, que também possui furos que permitem a passagem de ar, reduzido o risco de asfixia. A partir de um ano, o bebê já começa a apresentar os ombros mais largos do que a cabeça, forçando o pescoço quando ele dorme de lado, principalmente. Portanto, ao notar que o pescoço do bebê está inclinado para baixo, é hora de usar um travesseirinho um pouco mais alto, que possa preencher o espaço existente entre a sua cabecinha e o colchão. Assim, a coluna permanecerá alinhada e as vias respiratórias livres", complementa Renata.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.