Comportamento

Saiba como tratar melasma e manchas faciais

Shutterstock

Caracterizadas por desordens na pigmentação da pele, as manchas faciais podem ser hipercrômicas (escuras) ou hipocrômicas (claras e esbranquiçadas). As mais comuns aparecem por uma produção excessiva de melanina. 

O melasma, tipo de hipercromia localizado principalmente nas regiões da testa e central do rosto, é comumente associado a fatores hormonais. Exposição solar, determinados medicamentos, gestação, genética, acne, picada de inseto, queimaduras e deficiência de vitaminas são alguns dos fatores relacionados a manchas faciais escuras, que podem ser tratadas com procedimentos estéticos conforme o tipo de hipercromia e a cor da pele do paciente. 

De acordo com a fisioterapeuta dermatofuncional, Aline Caniçais, é comum realizar terapias combinadas para obtenção de melhores resultados. "Um dos tratamentos mais indicados é a fototerapia com o uso de laser terapêutico e LEDs. Nesse protocolo, é feita a associação do LED azul, que proporciona o clareamento e a tonificação dos tecidos, com o laser vermelho, que estimula o aumento do volume de vasos, causando uma drenagem local e contribuindo para bons resultados", explica a profissional.

"Esse procedimento pode ser realizado até duas vezes na semana, de acordo com a necessidade do paciente, e é contraindicado para pessoas com câncer, com doenças que piorem ou que sejam desencadeadas pela exposição à luz, assim como para gestantes que ingerem alguns tipos de medicamentos ou fazem uso de determinados cosméticos", alerta Aline Caniçais.

Para prevenção de manchas, é necessário manter a pele limpa, bem hidratada e com fotoproteção adequada, além de seguir, rigorosamente, as orientações do profissional de estética e de dermatologia.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.