Comportamento

Suplementos alimentares: entenda para quê servem

Shutterstock

A tendência ao estilo de vida mais saudável colocou em pauta a suplementação alimentar. Entenda para quê serve cada uma das opções disponíveis no mercado

Em busca de corpos perfeitos, muita gente que se inicia nas atividades físicas se joga na suplementação alimentar, afim de conquistar seus objetivos com maior rapidez. Mas "suplementação não faz milagre". Essa afirmação categórica vem da nutricionista especialista em nutrição clínica e esportiva Pollyane Reis. De acordo com a especialista, deve-se suplementar apenas quando as necessidades nutricionais não puderem ser supridas exclusivamente através da alimentação.

Cada caso, um caso

“Se é um paciente que não consegue ingerir, por exemplo, a quantidade de proteína recomendada ou tem uma rotina muito corrida, ficando horas sem se alimentar, a whey protein pode ser uma estratégia, mas isso é muito individualizado”, lembra a especialista.

Complemento, não substituto

E como o nome diz, a suplementação vem como complemento no processo, seja de emagrecimento ou ganho de massa muscular. “É necessário mudar primeiramente a alimentação, hábitos de atividade física e, só depois, a suplementação fará sentido”, afirma. 

Atenção aos rótulos

O grande segredo é ficar de olho na tabela nutricional e na composição dos ingredientes. “Há boas opções no mercado nacional, assim como os que vêm de fora. Mas a indicação profissional é fundamental no processo”, pondera. 

Whey protein

De acordo com a empresária do ramo de suplementos, Jeniffer Freitas, whey protein é o suplemento mais popular por trabalhar no aumento de massa magra. A proteína do soro do leite pode ser encontrada em três subtipos: concentrada, isolada ou hidrolisada, em que há a quebra das moléculas de proteína em estruturas menores, facilitando a absorção pelo organismo. O que as diferencia é o percentual de concentração de proteína, bem como a estrutura das moléculas. A concentrada tem, no mínimo, 70% de proteína, a isolada 80%, e a hidrolisada, no mínimo, 90%. 

BCAA

A sigla que em inglês significa Branched Chain Amino Acids, ou Aminoácidos de Cadeia Ramificada, é composta pela leucina, valina, isoleucina. Esses aminoácidos são abundantes na musculatura, e quando não há glicose suficiente para gerar energia são a primeira fonte a ser usada. O BCAA ajuda, portanto, na melhora da fadiga muscular, e associado à uma alimentação correta previne o catabolismo muscular – degradação da massa magra.

Glutamina

Aminoácido responsável pelo aumento de imunidade. auxilia também na recuperação muscular.

Creatina

Composta por três aminoácidos: arginina, glicina e metionina, a creatina ajuda no aumento da explosão de movimentos e da força, bem como cria aquela sensação de maior volume dos músculos, já que retém líquido.

Cafeína

Efeito termogênico, a cafeína aumenta a temperatura corporal, dando mais disposição para realizar os treinos e auxiliando na perda de gordura. A quantidade de ingestão não deve ultrapassar 450 mg por dia.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.