Dinheiro

Já pensou em se tornar pessoa jurídica?

Pixabay


O que é mito para muita gente, na verdade é aconselhável pelo consultor contábil, Cassius Pimenta. Ser ou não ser pessoa jurídica? O assunto foi discutido no Momento Ludovica Carreira, na Rádio CBN. 

Segundo o consultor financeiro, na prática, ser pessoa jurídica é abrir uma empresa e emitir nota. Os benefícios, segundo Cassius são principalmente dois benefícios: redução da carga trubutária e maior profissionalização, afinal é possível contratar funcionários. 

Para que a pessoa abra uma empresa é fundamental ter auxílio de um profissional de contabilidade. "É o contador quem vai dar as orientações sobre o CNPJ, inscrição municipal e qual será a forma societária", afirma. 

Outra vantagem, segundo Cassius é a maior flexibilidade de horário e, por não ter encargos trabalhistas, certamente o profissional vai receber um valor maior. 

Por outro lado, é bom deixar claro que alguns direitos de carteira assinada não serão mantidos como pessoa jurídica, por exemplo: um terço de férias e décimo terceiro. Mas, o profissional não perde os direitos da previdência. 

Cassius reforça que é mito a onerosidade do processo. "Não é um trâmite caro e a manutenção da PJ ficou facilitada com o Simples Nacional."

Em todo caso, Cassius diz que o que faz diferença na prática não é se a pessoa é física ou jurídica, mas sim a qualidade do produto. "A questão da documentação é um processo formal, o consumidor está interessado mesmo no que está sendo vendido."

00:00:00
Confira a entrevista na íntegra
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.