Lazer

Em minha companhia

Shutterstock


Seja você solteira ou casada, com filhos ou sem, extrovertida ou mais calada, viajar sozinha pelo menos uma vez na vida pode fazer com que você enxergue além desses rótulos que nós próprias tendemos a nos colocar ou que a sociedade nos impõe.

De acordo com um levantamento do TripAdvisor, portal de viagens que fornece informações e relatos de viajantes, uma a cada quatro mulheres brasileiras viaja sozinha. Além disso, o número de ofertas de intercâmbio para quem tem entre 30 e 40 anos aumentou consideravelmente, um reflexo de que as agências e operadoras de viagens perceberam o potencial dessa faixa etária.

Você pode optar por uma viagem curta, no próprio país, ou treinar o inglês no exterior para sua carreira, por exemplo. Seja como for, quando você viaja sozinha, abre a possibilidade de conhecer outras pessoas e viver realmente o lugar. Afinal, quando temos apenas a nossa própria companhia, tendemos a observar melhor o ambiente em que estamos, os aromas, a conversa das outras pessoas, enfim, tudo a nossa volta.

"Uma coisa interessante é que as mulheres com 30 anos ou mais podem optar por salas de inglês para essa faixa etária, por exemplo, e conviver com pessoas mais experientes. É claro que a troca com os mais jovens ou mais velhos é ótima, mas poder escolher como fará o seu intercâmbio e com quem conviverá traz mais satisfação a ela", explica a especialista em viagens da Minds Travel, Lorena Peretti.,

Veja, a seguir, as dicas da especialista:

O poder de decisão

Viajando sozinha, você, e só você, vai lidar com o que der certo e errado na viagem. Mais do que isso, sentirá o quanto a sua mente se transforma com esse poder de decisão. Você aprende a ter mais jogo de cintura, pedir ajuda a pessoas locais, interagir com o novo. Lembre-se de que a criatividade nasce da combinação das experiências que já tivemos, logo, você voltará para sua rotina com inovações e maior poder de decisão sobre a sua vida.

Planeje as suas finanças

Independentemente do período que você está planejando ficar fora, é necessário ter em mente o valor que vai destinar para a realização da viagem e sempre reservar 15% a mais no orçamento para imprevistos. Pesquise a moeda local. Se for mochilar, lembre-se de que os cartões são mais seguros do que uma grande quantidade de dinheiro em espécie. E não é porque você chegou aos 30 anos que precisa ter muito dinheiro para viajar. Há hostels, couchsurfing, casas de família e outros tipos de acomodações bem mais em conta de que os hotéis.

A conquista da liberdade

Viajando sozinha, você perceberá que a liberdade é o oposto da solidão. Afinal, se ficar com vontade de mudar totalmente o roteiro, você pode. Se decidir ficar até tarde na cama, também está permitido. Você toma as decisões e não precisa se preocupar em negociar nada. Ao provar dessa liberdade, você vai querer mais, acredite!

Você não é a única

Viajar na própria companhia é mais comum do que se imagina. Durante o percurso, você vai cruzar com mulheres e homens reservando esse tempo para si e terá a oportunidade de conhecer a experiência do outro, assim como de outras culturas. É normal, inclusive, que muitos desses amigos que você fará pelo caminho se tornem seus amigos ao longo dos anos, mesmo com a separação geográfica.

Up na carreira e qualidade de vida

É preciso considerar não apenas os possíveis ganhos financeiros, mas também a maneira como você vai conduzir seu trabalho depois da viagem. Ao retornar, perceberá com mais clareza se gosta realmente de sua função ou em que pode mudá-la e ainda pode aumentar a capacidade de negociação. Você enfrentou o mundo. Enfrentar os desafios da rotina será mais fácil do que antes.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.