Lazer

Vou de férias!

Shutterstock


Organizar uma viagem parece fácil: você escolher o destino, o meio de transporte, a hospedagem e pronto. Só que não! Um bom planejamento vai além desses três passos. A ideia é aproveitar cada segundo do merecido descanso em família. Com um programa detalhado, é até possível conhecer mais lugares do que o previsto e apreciar melhor as diferentes culturas.
 
“Claro que o planejamento pode não ser cumprido ao pé da letra porque você vai visitando lugares e descobrindo outros, mas ele não te deixa perder tanto tempo e dinheiro sem conhecer pelo menos os locais considerados prioridade”, detalha Larissa Thayana Santos, presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do Estado de Goiás.
 
Carro, ônibus ou avião?

Depende do perfil do viajante, do destino e da distância. Para famílias com crianças, viagens aéreas são mais indicadas. “Estamos no Centro-Oeste e, geralmente, gostamos de passar as férias nas praias do Nordeste. A distância é de mais de mil quilômetros. Viagens aéreas são mais confortáveis, rápidas e seguras para crianças”, indica.
 
Pacotes fechados

Comprar pacotes em agências sai um pouco mais caro, mas elas oferecem uma lista de serviços. “É um trabalho de assessoria: a escolha do melhor voo para o tipo de viagem, dicas turísticas e outras informações para aproveitar o passeio ao máximo.” Sem a agência de viagens, qualquer problema no voo ou na reserva do hotel deve ser resolvido pelo próprio turista. “Já as agências estão preparadas para imprevistos e são as responsáveis por intermediar a solução”, completa.
 
Mas, ao contratar agências, é importante verificar a idoneidade da empresa e se ela tem cadastro no sistema Cadastur, criado pelo Ministério do Turismo. O viajante pode acessar o site cadastur.turismo.gov.br e checar essas informações. Outra fonte é a Associação Brasileira das Agências de Viagem, que fornece histórico da empresa. 
 
Viagens em grupo

Viagens fechadas em grupos saem mais em conta do que uma viagem para uma família com três ou quatro pessoas. Mas vale ressaltar que é um estilo diferente de passeio. “Algumas pessoas não gostam de viagens em grupos porque não têm liberdade para fazer seus horários ou conhecer todos os locais que desejam”, ressalta Larissa.
 
Low Cost

São voos econômicos para passageiros sem bagagem a ser despachada. “Essa opção é mais interessante em viagens internacionais. Aqui no Brasil, as pessoas geralmente viajam com bagagem. Além disso, a diferença de preços é pequena. No exterior, a variação é maior”, ressalta a presidente do sindicato.
 
Carros de aluguel

A necessidade de contratar um carro de aluguel também depende do destino. “Se a família for ficar num hotel all inclusive, por exemplo, não vale a pena porque vai perder o que é incluso no pacote”, explica Larissa. Caso as opções de passeio sejam muitas e as praias, distantes, o aluguel pode compensar. Para ficar por dentro de tudo que os lugares podem proporcionar, o melhor é contratar um guia de turismo pelo menos por um dia, logo no início da viagem. 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.